como serão os hospitais do futuro?

10/08/2019

Como serão os escritórios do futuro?

Espaços planos, luzes artificiais e tapetes cinza. Durante décadas os escritórios contavam mais ou menos com o mesmo aspecto. Porém, será que os escritórios do futuro terão a mesma configuração?

Com o desenvolvimento da tecnologia, o layout desses espaços tende a mudar. Como hoje boa parte das tarefas de um escritório são realizadas em laptops, tablets e smartphones, a tendência é que o ambiente de trabalho ganhe maior flexibilidade e mobilidade, atendendo aos desejos dos colaboradores e melhorando a produtividade. Confira!

A evolução dos escritórios

O surgimento dos escritórios conta com uma data controversa. Há quem afirme que os primeiros escritórios surgiram no final do século XIX, quando o telefone e o telégrafo possibilitaram que a distribuição e controle da produção fossem feitas longe das fábricas. Outros afirmam que os escritórios surgiram por volta do século XVIII em razão do aparecimento de profissões como advogados, banqueiros e contadores. Independentemente da data exata, o fato é que os escritórios passaram por diferentes configurações com tempo. E, na medida em que valores como satisfação dos funcionários, alta produtividade e melhor qualidade do ambiente de trabalho passaram a ser algo relevante, os escritórios vem se transformando cada dia mais.

Anos 50 – O escritório Taylorista

Os escritórios da era Taylorista contavam com um design mais robusto, que acompanhava o prestígio e a autoridade dos profissionais que trabalhavam nesse ambiente. Nessa época, os horários eram rígidos, as tarefas bem definidas e havia pouca oportunidade de crescimento. Os móveis pesados e alinhados, quase como uma sala de aula, eram a marca desses escritórios. Foi nessa época também que surgiram os primeiros armários de ferro, que eram utilizados para guardar documentos, justamente porque não pegavam fogo como móveis de madeira.

Anos 80 – O escritório cubículo

Na década de 80 surgiram as primeiras baias. A configuração dos chamados escritórios cubículo reforçava a ideia da impessoalidade e autoridade. As salas próprias e mais arejadas era um privilégio somente dos cargos de alto escalão. Nessa época, começaram a surgir as primeiras discussões sobre a necessidade de humanização no ambiente de trabalho.

Anos 2000 – O escritório plano

A partir dos anos 2000, a hierarquia diminui e os funcionários são convidados a agir e pensar como parte do negócio. A competição também aumenta e a necessidade de especialização e educação surge no ambiente de trabalho. Nessa época, os escritórios ganham uma composição plana, de espaço aberto, onde a interação favorece a competitividade e a produtividade no ambiente de trabalho. O isolamento das baias é substituído por mesas abertas onde todos participam e interagem no ambiente.

2010 – O escritório divertido

A informalidade das empresas de tecnologia e startups também influenciou o espaço dos escritórios. Nessa fase o design passa a ter a função de refletir o clima saudável e feliz do ambiente de trabalho que a empresa quer proporcionar. A utilização de mobiliários inusitados como piscina de bolinhas e cabines de roda gigante, por exemplo, passaram a ser bem-vindas.

Os escritórios do futuro

Com o desenvolvimento da tecnologia, os limites entre a vida pessoal e a vida profissional se diluíram. O surgimento do home office gerou impacto e trouxe uma boa reflexão para o ambiente dos escritórios. Há quem aposte no fim das mesas e cadeiras tradicionais. Porém, ao que tudo indica, a tendência é que os ambientes de trabalho se estruturem como espaços de colaboração, encontros e sociabilidade. O escritório do futuro é mais integrado, colaborativo e flexível.

Além de favorecer a locomoção no espaço, o mobiliário também deve ser ajustável às inúmeras funções do ambiente. Hoje se fala em estações de trabalho mais integradas, espaços de reunião mais flexíveis, além de espaços de sociabilidade que favorecem atividades colaborativas.

O escritório do futuro é, sem dúvida, um ambiente dinâmico, favorecendo a interação, o conforto e o bem-estar.

Presença de elementos naturais

Por falar em bem-estar, outra marca dos escritórios do futuro é a presença de elementos naturais. Conexão visual com a natureza, iluminação natural, presença de água e muito verde também faz parte do layout dos escritórios do futuro.

Como elementos naturais melhoram a qualidade do ar, térmica e acústica, eles passaram a ter um espaço maior nesses novos ambientes.  Além disso, elementos naturais contribuem para a redução do estresse, melhor capacidade de concentração e aumento da criatividade, não por outra razão, eles ganham cada vez mais espaço nos escritórios.

A tendência é que o ambiente de trabalho seja mais convidativo e livre. Os escritórios do futuro colocam de lado a competitividade, para dar espaço ao bem-estar como fonte de produtividade.

Você já conhecia as tendências dos escritórios do futuro? Conheça mais sobre os móveis para escritório da Teto. Clique e saiba mais!

TOP